terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Child of Galileo.

"A noite acendeu as estrelas porque tinha medo da própria escuridão."
Mário Quintana


Os cientistas dizem que se você puder arranjar um jeito de viajar mais rápido do que a luz, poderá ir para qualquer lugar do universo que desejar em questão de segundos. O universo inteiro, que sempre tem algo novo a mostrar já que está em constante expansão. Eu sempre amei as estrelas por não ter medo do escuro, ou talvez por elas serem as únicas luzes que eu via na escuridão dentro de mim. Minhas palavras geralmente não se fazem entender a quase todos, mas me satisfazem quanto a diminuir o grande ruído que o silêncio alheio do mundo deixa em minha mente. É tão difícil estar constantemente insatisfeita com um monte de coisas que optei por não dividir nada mais a meu respeito com qualquer um. Eu não me importo comigo tanto quanto deveria, ou tanto quanto me importo com o bem estar dos que gosto. Talvez por que alguns vêm para este mundo com o objetivo de cuidar de pessoas, e outros vêm para serem receptores desse cuidado. Algumas coisas às vezes me parecem tão fora de foco quanto um óculos sujo que precisa ser limpo para devolver novamente a visão perfeita. Passado, presente e futuro se embaralham na minha cabeça num ritmo frenético como uma constante explosão estelar fazendo um barulho insuportável, embora que para os outros eu esteja em completo silêncio. Einstein dizia que imaginação era mais importante do que conhecimento, no entanto eu acho que bem no fundo ele sabia que se você tiver conhecimento e imaginação, você pode mudar o mundo. Ou talvez só o mundo de algumas pessoas. Eu sonho sobre galáxias, supernovas, nebulosas e milhões de outras coisas que não estão ao meu alcance e talvez jamais estejam, mas tudo bem. Pelo menos estou viva. Pelo menos eu posso criar, pelo menos posso imaginar. Pelo menos minha mente não fica estagnada. Pelo menos eu ainda consigo amar, mesmo do meu jeito estranho. E é só uma questão de tempo e de sorte para que as Moiras que tecem minha existência resolvam colocá-la no caminho certo. Dançarei sozinha entre as estrelas enquanto a minha música ainda tocar, esperando que algum dia minha mente permaneça no mesmo silêncio do que o resto do universo.

8 comentários:

  1. Adorei o texto! Super bem escrito, e meio que me identifiquei... A trilha sonora, então, foi PERFEITA. <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ameeei seu blog!!

    Eu sempre desejo o contrário, queria que minha mente tivesse a agitação do mundo e não o silêncio do Universo, a agitação me motiva enquanto o silêncio me dá sono.

    beijos <3

    ResponderExcluir
  3. eu gosto de estrelas, mas por algum motivo desconhecido eu prefiro a lua. e um dos maiores sonhos que eu tenho é de poder passear pelo espaço *-------------*

    beijas, coração! ;*

    ResponderExcluir
  4. Como sempre você arrazando ! Lindo texto, parabéns.
    Saudades daqui. xero <3

    ResponderExcluir
  5. *-* Ah, as estrelas. E o universo...

    ResponderExcluir
  6. O universo de cada um tem a própria voz, eu acho, mas o silêncio fala para os ouvidos atentos. Eu aprendi a escutá-lo e seus sussurros são surpreendentes e no escuro as estrelas parecem dançar no céu, como se ouvissem uma melodia só delas.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Talk talk talk / Don't you know where you want to go /
Start something new, that you know where you want to go